Informações da página

Você está em: Página Inicial > Comunicação > Notícias

Início do conteúdo

II Simpósio de Ciências Agrárias, a II Mostra de Iniciação Científica, Tecnológica e de Inovação e a I Mostra de Extensão expõe trabalhos realizados na área da pesquisa e da extensão

Abertura oficial do evento aconteceu com a presença de autoridades na manhã de terça-feira, dia 11 de dezembro

Confira aqui o livro de resumos da II Mostra Científica, Tecnológica e de Inovação e I Mostra de Extensão do IFRS - Câmpus Sertão

 

Desde a transformação da antiga Escola Agrotécnica Federal de Sertão em Câmpus do Instituto Federal do Rio Grande do Sul, abriu-se um vasto leque de possibilidades. Além da implantação de cursos superiores e a autorização para abertura de cursos de pós-graduação, umas das grandes mudanças foi a possibilidade de atuação intensa na área da pesquisa e da extensão. E para apresentar o grande número de projetos de pesquisa e de extensão que passaram a se desenvolver na Instituição, o Câmpus promoveu o II Simpósio de Ciências Agrárias, a II Mostra de Iniciação Científica, Tecnológica e de Inovação e a I Mostra de Extensão, entre os das 11 e 14 de dezembro.

A programação incluiu palestras, apresentações culturais, mostra dos trabalhos de pesquisa e mostra dos trabalhos de extensão. A finalidade do evento foi promover a interação entre os Departamentos de Ensino, Pesquisa e Extensão do IFRS - Câmpus Sertão a partir de palestras e discussões com temas que visam complementar as ementas/currículos dos cursos envolvidos, bem como apresentação de projetos de pesquisa e extensão e seus resultados.

Participam do evento professores e técnicos pertencentes à área de Ciências Agrárias; alunos dos cursos Superiores de Tecnologia em Agronegócio, Agronomia, Zootecnia, Licenciatura em Ciências Agrícolas e áreas afins do IFRS - Câmpus Sertão; professores e alunos de outras Instituições de Ensino; empresários e demais interessados.

A abertura oficial contou com a presença do diretor-geral do Câmpus Lenir Antonio Hannecker, da coordenadora de Cursos Superiores e coordenadora-geral do evento Raquel Breitenbach, do diretor de Ensino Josimar de Aparecido Vieira e do diretor de Extensão Marcos Antonio de Oliveira, na oportunidade representando também o diretor de Pesquisa e Inovação Márcio Luís Vieira.

A primeira palestra foi proferida pelo diretor do departamento de Cooperativismo da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Gervásio Plucinski.

Sua abordagem foi sobre as políticas públicas existentes hoje no estado para a agricultura familiar. Gervásio falou dos programas criados pelo governo para o fomento das atividades rurais nas pequenas propriedades, abrangendo desde o setor de pesca até a questão das agroindústrias e cooperativas.

Antes de falar especificamente sobre os programas, Gervásio fez um apanhado da situação da agricultura familiar no Estado. "Quase 88% das propriedades rurais do Rio Grande do Sul são de base familiar e 70% dos alimentos produzidos no estado são da agricultura familiar", destacou. Ainda, disse que e preciso alterar a cultura de apenas produzir alimentos e não investir em sua transformação, ou seja, nas agroindústrias, que são a principal fonte de renda.

A rigidez do controle de qualidade das rações para cães e gatos foi abordada pelo médico veterinário Luiz Scotti. No agronegócio brasileiro a nutrição pet vem ganhando cada vez mais espaço. Scotti lembrou que as pessoas estão cuidando cada vez mais e melhor dos seus animais de estimação e a preocupação com uma ração de qualidade, com os nutrientes necessários para os pets, é crescente. "Os cães, na década de 80, viviam em média 7 anos. Hoje, cães de grande porte já tem expectativa média vida de 12 anos. Com o envelhecimento dos animais de estimação, novas necessidades estão surgindo", alertou.

Deste modo, o máximo cuidado no preparo de uma ração balanceada, com a qualidade das matérias primas e com a higiene na fabricação é uma exigência do mercado.

A palestra da noite de terça-feira (11/12) foi com o professor da IDEAU e funcionário do Sicredi, Valdeci Nardi. Ele, que foi ex-aluno do Câmpus, falou sobre a gestão do agronegócio, apresentando as linhas de crédito existentes hoje para os agricultores e expondo dados regionais de população e produção. "Vocês serão os futuros profissionais responsáveis pela elaboração dos projetos técnicos que serão apresentados às instituições financeiras solicitando recursos para os produtores. Desta forma, precisam estar atentos a conjuntura econômica e avaliar as reais necessidades dos agricultores", alertou aos estudantes.Ainda, lembrou que fazer gestão é trabalhar com recursos humanos e enfatizou que "para investir é necessário fazer crédito, mas com consciência".

Pela I Mostra de Extensão, na mesma noite, foram apresentados dois projetos de extensão ao público: a banda musical, que apresentou duas canções com voz e violão; e o grupo Apollo de Artes Cênicas que encenou a peça originalmente adaptada pelo grupo, "O júri".

No dia 12 de dezembro, pela parte da manhã, o primeiro assunto foi nutrição de equinos com o médico veterinário Tiago Zart de Arruda. O palestrante lembrou que os cavalos são animais herbívoros que comem cerca de 16, até 17 horas por dia. Contudo, possuem o estômago pequeno e por isso necessitam de monitoramento. "Os cavalos precisam se alimentar muitas vezes, mas em poucas porções", disse. Ainda, destacou que a água é muito importante na cadeia alimentar destes animais, bem como a reserva de fontes de energia, seguida das porteínas.

A produção de ovinos em sistemas integrados foi o tema da palestra do professor Hélio Carlos Rocha (UPF). Com o aumento do consumo da carne ovina, Rocha aponta a criação de ovinos como um sistema que pode ser rentável para os produtores. Contudo, ele acredita ser necessário explorar outras formas de consumo da carne ovina, já que a grande maioria é destinada ao churrasco. "E só comemos churrasco quando temos tempo, nos finais de semana, ou em festas", avaliou. Sobre o sistema de criação integrado, Rocha explicou a criação de ovinos aproveitando pomares de diversas espécies de frutíferas entre elas os cítricos. Além de controlar vegetação rasteira no pomar, os ovinos podam os ramos mais baixos de laranjeiras e bergamoteiras e propiciam condições que dificultam a proliferação de doenças. Outra vantagem, segundo ele, é a mineralização e absorção no solo das fezes de um ovino é muito mais rápida que de um bovino.

A preservação do meio ambiente através da educação ambiental foi a abordagem do engenheiro agrônomo Jacinto Tamiosso da EMATER no início da tarde de quarta-feira (12). O palestrante começou questionando a plateia sobre quantos anos cada um queria viver e como gostaria de chegar até tal idade, além do que fazer para chegar da forma como gostariam. "Se tivermos o atendimento pleno à saúde e um ambiente equilibrado teremos 48% de chances de chegar aos 100 anos, ou viver até quanto quisermos. Os outros 52% dependem de cada um, do estilo de vida", alertou. Segundo Tamiosso é necessário uma educação ambiental efetiva para promover a valorização do campo, das pessoas que moram no campo, para que a preservação ambiental também se torne possível.

O outro assunto abordado na tarde foram as novas recomendações de adubação e calagem para o RS e SC, cujo palestrante foi o professor Alfredo Castamann (UFFS). Segundo ele, pode-se usar com segurança as recomendações desde que se faça a interpretação correta da realidade que se tem em cada propriedade, em cada tipo de solo e em cada clima. "Os solos e as culturas têm necessidades nutricionais diferenciadas que devem ser levadas em consideração no momento de fazer um programa de manejo e de adubação", comentou. Castamann também falou de algumas especificidades, como a evolução do sistema de manejo de solo, o plantio direto, que ao contrário do que se acreditava, leva mais de 20 anos para ser considerado consolidado.

Na quarta-feira (12) à noite, as palestras foram o "Comportamento humano no mundo do trabalho", com o professor Jandir de Pauli (IMED), e o "Trabalho profissional em Ciências Agrárias" com o professor Joecildo Francisco Rocha (UFRRJ).

As atividades do dia 13/12 iniciaram com as palestras "Pesquisa e inovação tecnológica" com a professora Marilia Assunta Sfredo e "As diretrizes de extensão nos IFs do Brasil" com o Pró-Reitor do IF Alagoas Altenir João Secco.

Sobre propriedade intelectual e inovação tecnológica, Marília Assunta Sfredo, que é coordenadora-geral de pesquisa e extensão do Câmpus Erechim, falou da evolução do conceito de inovação, cujo desenvolvimento é motivado por situações de crise. Segundo ela, existem dois tipos de inovação, a tecnológica (de produtos e processos) e as não-tecnológicas (de marketing e organizações). "Mas hoje podemos dizer que existe ainda uma terceira, que é a inovação social, a qual ficou à margem com o capitalismo e agora está bastante em evidência", destacou. Marília também falou do processo de inovação, que engloba a invenção, a inovação (registro de patentes) e a difusão, comentando que no Brasil são poucas as patentes registradas ainda. "Precisamos fazer um modelo dinâmico de inovação, com pesquisa aplicada, e não o modelo linear que estamos acostumados, chamado de 'tecnologia de biblioteca'"?, disse.

O Pró-Reitor do IF Alagoas Altenir João Secco proferiu uma palestra sobre as diretrizes de extensão nos IFs do Brasil. A importância da construção de uma rede de relacionamentos foi bastante enfatizada por Secco, que é ex-aluno da antiga Escola Agrotécnica Federal de Sertão.

"Se relacionar bem, ser gente boa, é fundamental. Construir uma rede de relacionamentos é bastante importante e muitas oportunidades podem surgir desta rede", salientou.

Quanto a extensão, evidenciou que muitos conceitos já foram usados para defini-la: no início, o que não fazia parte da pesquisa e do ensino era considerado extensão, posteriormente passou a uma visão de indissociabilidade das três, até chegar na visão de articulação das três. "E o estudante só conseguirá experiência além da acadêmica através da extensão", apontou.

Na tarde de quinta-feira (13/12), aconteceu a apresentação oral de trabalhos e a exposição de pôsteres dos projetos de pesquisa e extensão do Câmpus.

A noite iniciou com a palestra "Perspectivas para o mercado da pecuária brasileira", ministrada pela professora Tanice Andreatta (UNIPAMPA). Ela contextualizou a demanda global por alimentos, salientando o crescimento populacional, o crescimento da economia e a mudança na dieta alimentar. "O complexo carnes tem grande potencial de crescimento, pois a primeira mudança de hábito alimentar quando há melhora na situação econômica é o maior consumo de carne", evidenciou. Tanice também falou das principais cadeias produtivas, que é a suinocultura, a avicultura e a bovinocultura.

O segundo assunto da noite foi a "Gestão rural no agronegócio", com o professor Arlindo Jesus Prestes de Lima (CAFW). Lima comentou sobre a dificuldade de aplicação e consolidação do conhecimento administrativo nas propriedades rurais. "Além de habilidades técnicas e humanas, os profissionais que trabalham com o agronegócio precisam conhecer os conceitos administrativos e a estrutura dos diferentes tipos de propriedade, desde a agricultura capitalista, a agricultura patronal, a agricultura familiar e o familiar minifúndio", expôs. Ainda, segundo ele, nem toda agricultura familiar é pobre, como nem toda agricultura patronal é extremamente rica. "O profissional ao trabalhar na gestão do agronegócio deve levar em conta as situações específicas de cada propriedade, suas oportunidades e condições, que variam muito", ressaltou.

O evento encerrou no dia 14/12 com as palestras "Recursos hídricos" com Adilson Luís Bamberg da Embrapa Clima Temperado e "Doenças na cultura da soja" com Leila Maria Costamilan da Embrapa Trigo

Galeria

A primeira palestra foi com o diretor do departamento de Cooperativismo da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Gervásio Plucinski Participam do evento professores e técnicos pertencentes à área de Ciências Agrárias; alunos dos cursos Superiores de Tecnologia em Agronegócio, Agronomia, Zootecnia, Licenciatura em Ciências Agrícolas e áreas afins do Câmpus; professores e interessados A rigidez do controle de qualidade das rações para cães e gatos foi abordada pelo médico veterinário Luiz Scotti O professor da IDEAU e funcionário do Sicredi, Valdeci Nardi, falou sobre a gestão do agronegócio Alunos de diferentes cursos da Instituição estão participando do evento integrado Noite de terça-feira foi de apresentações dos projetos de extensão. O grupo Apollo de Artes Cênicas encenou a peça "O juri" Apresentação do grupo Apollo de Artes Cênicas A banda musical apresentou duas canções com voz e violão A banda musical apresentou duas canções com voz e violão O médico veterinário Tiago Zart de Arruda falou sobre nutrição de equinos O professor Hélio Carlos Rocha (UPF) proferiu uma palestra sobre produção de ovinos em sistemas integrados A preservação do meio ambiente através da educação ambiental foi a abordagem do engenheiro agrônomo Jacinto Tamiosso da EMATER As novas recomendações de adubação e calagem para o RS e SC foram abordadas pelo professor Alfredo Castamann (UFFS) Palestra "Pesquisa e inovação tecnológica" com a professora Marilia Assunto Sfredo O Pró-Reitor do IF Alagoas Altenir João Secco proferiu uma palestra sobre as diretrizes de extensão nos IFs do Brasil. Na tarde de quinta-feira (13/12), aconteceu a apresentação oral de trabalhos e a exposição de pôsteres Integrantes do comitê de extensão do IFRS que participaram de uma reunião no Câmpus Exposição de pôsteres dos projetos de pesquisa e de extensão do Câmpus Exposição de pôsteres dos projetos de pesquisa e de extensão do Câmpus Exposição de pôsteres dos projetos de pesquisa e de extensão do Câmpus "Perspectivas para o mercado da pecuária brasileira" foi a palestra da professora Tanice Andreatta (UNIPAMPA) O professor Arlindo Jesus Prestes de Lima (CAFW) falou sobre "Gestão rural no agronegócio" No dia 14/12, o evento encerra com as palestras "Recursos hídricos" com Adilson Luís Bamberg da Embrapa Clima Temperado "Doenças na cultura da soja" foi a palestra ministrada por Leila Maria Costamilan da Embrapa Trigo

Veja mais

Final do Conteúdo Ir para as informações da Página

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Câmpus Sertão

Rodovia RS 135, Km 25 | Distrito Eng. Luiz Englert | CEP: 99170-000 | Sertão/RS

E-mail: comunicacao@sertao.ifrs.edu.br | Telefone: (54) 3345-8000 | Fax: (54) 3345-8006/8022/8003