Informações da página

Você está em: Página Inicial > Comunicação > Notícias

Início do conteúdo

Cresce procura por cursos superiores no Campus Sertão

Laís Alves de Mattos Faria e a mão Eliane de Barra do Piraí, estado do Rio de Janeiro

Os cursos superiores oferecidos pelo Campus registraram alta procura no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) em 2011. A relação de candidato por vaga na primeira etapa chegou a 25,60 para o curso de Licenciatura em Ciências Agrícolas. O segundo curso mais procurado foi Zootecnia, com 12,70 candidatos por vaga. Em seguida estão o curso de Tecnologia em Agronegócio (11,38 candidatos por vaga), Agronomia (9,90 candidatos por vaga) e Tecnologia em Gestão Ambiental (8,78 candidatos por vaga).

Pelo fato do Sisu constituir-se num sistema que seleciona candidatos do Brasil todo, a procura pelos cursos do Campus não foi apenas de moradores da região. Laís Alves de Mattos Faria percorreu muitos quilômetros de Barra do Piraí, estado do Rio de Janeiro, até Sertão para garantir a vaga conquistada no curso superior de Licenciatura em Ciências Agrícolas. Ela esteve no Campus para a matrícula, ainda na primeira fase do Sisu, acompanhada dos pais.

Formada no curso Técnico em Agropecuária no Instituto Federal do Rio de Janeiro, Laís contou que já tinha ouvido comentários a respeito do Campus Sertão, principalmente pela Instituição ser uma das poucas no Brasil a oferecer o curso de Licenciatura em Ciências Agrícolas.

"Quando fiz o curso técnico foi a primeira vez que fiquei longe da família, mas nunca fiquei tão longe quanto vou ficar agora. Gosto dessa área e vale a pena superar a distância e todos os obstáculos para construir meu futuro", comentou.

A mãe Eliane disse estar tranquila porque confia na maturidade da filha. "É muito importante que os pais dêem liberdade para os filhos escolherem seu caminho, sua profissão. A distância e o fato de estar num lugar totalmente desconhecido vão fazer com que minha filha se desenvolva mais rapidamente", destacou.

O jovem Daniel Fonseca, 20 anos, está determinado a deixar o paraíso de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, para realizar o sonho de formar-se em Agronomia. Acompanhado pelo pai, ele esteve no Campus para efetivar a matrícula na segunda chamada do Sisu. "É a primeira vez que venho para o sul e que ficarei tão distante de casa. Espero me adaptar a tanta mudança. Com certeza esta experiência será muito importante para o meu futuro", apontou.

Quem também trocou um clima quente e paradisíaco em busca de um curso superior numa instituição federal foi Mariana Albuquerque Veras, 27 anos, de Natal, Rio Grande do Norte. Matriculada no curso de Tecnologia em Gestão Ambiental do Campus, ela espera obter um crescimento interno e um grande aprendizado durante as aulas. Apesar de já conhecer o Rio Grande do Sul, Mariana está apreensiva quanto clima no inverno. "Acho que vai ser o principal desafio", admitiu. Em contrapartida, achou o povo bastante hospitaleiro e acolhedor. "A região é linda, com muito verde. Gostei do lugar. Resolvi arriscar e estou pagando para ver, cheia de expectativas positivas", admitiu.

Mudança radical será a do jovem Phelipe Vilar, de São Paulo capital. Disposto a trocar um cenário urbano, cheio de arranha-céus e com um trânsito intenso, por uma paisagem bem mais tranquila, de interior, com a agricultura como carro-chefe, Phelipe está ansioso para o início das aulas. "Mesmo morando num grande centro, sempre gostei de cuidar da natureza, de cultivar plantas e por isso optei por um curso nesta área", contou. Apesar de ser a primeira vez que vai morar longe da família, o jovem acredita que suportará a saudade e as adversidades.

O pai, Fabiano Coelho, também está confiante. Disse que o filho tem o exemplo do avô, professor da Universidade de São Paulo (USP), e de tios que batalharam por uma formação e hoje têm pleno êxito na carreira.

Desde o dia 31 de janeiro, Gabriela Marcilli de Rio Claro, São Paulo, está residindo nas proximidades do Campus, aguardando o início das aulas do curso de Zootecnia. Sem conhecer o sul e sem nem mesmo ter saído do estado antes, Gabriela não pensou duas vezes e garantiu logo sua vaga no curso, que diz ser sua vocação. "Gostei da região, aos poucos já estou me adaptando. Minhas expectativas quanto ao curso são as melhores. Optei pelo Campus Sertão por acreditar que uma cidade de interior teria mais esta característica agropecuária e um conhecimento maior na área", falou.

O jovem Luiz Filipe Arruda Maciel, de 19 anos, residente em Belém do Pará, atravessou o país também atraído pela oportunidade de formar-se numa federal. Ele foi aprovado no Campus Sertão para o curso de Agronomia. Após passar praticamente dois dias viajando, ele e o pai efetivaram a matrícula na segunda chamada do Sisu. O pai Antonio Francisco Maciel gostou da região e se tranquilizou ao chegar ao sul. "As pessoas foram muito acolhedoras, por todos os lugares que passei. Confesso que estava apreensivo por não conhecer a região e por deixar meu filho sozinho num lugar tão distante, mas volto para casa tranquilo", disse.

Luiz Filipe está empolgado com a vinda para o Rio Grande do Sul. "A oportunidade de conhecer outra cultura, outro clima, é maravilhosa. Esta experiência de vida aliada a formação acadêmica é única e muito importante para a carreira", ressaltou.

A primeira colocada do curso superior de Tecnologia em Alimentos, único cujo ingresso não ocorreu através do Sisu, Daniele Bergmeier, 23 anos, chegou cedo para a matrícula e foi surpreendida com a notícia do primeiro lugar entre os candidatos. Ela, que reside no próprio Distrito de Engenheiro Luiz Englert, em Sertão, até então não sabia sua classificação. "Não tenho computador em casa e não consegui ver a lista dos aprovados, só fiquei sabendo que fui selecionada. Quase não acreditei. Estudei para fazer a prova do Enem, mas achava que não tivesse sido o suficiente, já que concluí o Ensino Médio há seis anos", contou.

Daniela salientou que, apesar das dificuldades, nunca desistiu do sonho de formar-se num curso superior. Enquanto não podia realizá-lo, fez o curso Técnico em Agroindústria e atualmente cursa o Técnico em Manutenção e Suporte em Informática, os dois no Campus Sertão. "Moro a uns quatro quilômetros do Campus e vou a pé estudar. Enfrento chuva, barro, poeira, mas nunca pensei em desistir. Esta oportunidade através do Enem e da abertura de cursos superiores na Instituição eu não posso deixar de aproveitar", reforçou.

A dica de Daniela para quem tem o mesmo sonho é persistir e estudar muito. "Claro que tudo o que conquistei devo aos meus pais, pelo apoio e incentivo que recebi deles sempre", lembrou.

Ao fim das três chamadas do Sisu, caso ainda haja vagas, as instituições de ensino convocarão os candidatos a partir da lista de espera gerada pelo sistema. Mais informações podem ser obtidas através do telefone (54) 3345-8000.

Galeria

O jovem Luiz Filipe Arruda Maciel, de 19 anos, residente em Belém do Pará, atravessou o país atraído pela oportunidade de formar-se numa federal. Na foto, ele está junto ao pai Antonio Francisco Maciel

Veja mais

Final do Conteúdo Ir para as informações da Página

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Câmpus Sertão

Rodovia RS 135, Km 25 | Distrito Eng. Luiz Englert | CEP: 99170-000 | Sertão/RS

E-mail: comunicacao@sertao.ifrs.edu.br | Telefone: (54) 3345-8000 | Fax: (54) 3345-8006/8022/8003